Arquivo da categoria: Sem categoria

Tsc, tsc…

Padrão

Tribunal de Contas diz que USP pagou acima do teto para 167 professores

Investigação do Tribunal de Contas do Estado diz que a USP pagou remunerações acima do teto constitucional ao reitor e a pelo menos outros 166 dos seus professores.

O limite a ser considerado, segundo a Constituição, são os vencimentos do governador. Em 2011, ano analisado pelo órgão de controle, Geraldo Alckmin (PSDB) ganhava R$ 18.725 por mês.

O tribunal aponta que recebiam acima desse valor, por exemplo, o então reitor, João Grandino Rodas (R$ 23 mil), e o atual reitor, Marco Antonio Zago (R$ 24 mil), que na época era pró-reitor.

Também é citado o ex-diretor da USP Leste José Jorge Boueri Filho (R$ 22 mil), unidade que enfrenta problemas de contaminação e foi interditada judicialmente este ano.

A universidade discorda da lógica utilizada pelo tribunal para estipular o teto e afirma que cortes já foram feitos.
Para a USP, vantagens acumuladas até 2003 não deveriam ser computadas porque só a partir de então é que as regras para a aplicação do teto ficaram mais claras.

O TCE considera como remuneração tanto o salário base dos professores como demais benefícios “fixos”, como quinquênio -5% de reajuste a cada cinco anos.

As remunerações mais altas são de docentes que já estão no fim de carreira, que podem ter acumulado até nove reajustes salariais de 5%.

O que o tribunal exige é que, atingido o teto por meio dos benefícios da carreira, a remuneração pare de subir.
As maiores remunerações de 2011 apontadas pelo tribunal, de R$ 26 mil, foram dos professores Douglas Wagner Franco, do Instituto de Química de São Carlos, e de Joaquim de Camargo Engler, da Esalq (campus Piracicaba).

Eles dizem que cabe à própria instituição calcular os vencimentos dos servidores.

Os pagamentos acima do teto e outros problemas na USP Leste fizeram com que conselheiros do tribunal seguissem a posição do relator, Dimas Ramalho, e rejeitassem as contas de 2011 da USP. Rodas, reitor à frente da universidade à época, foi multado em R$ 40 mil.

O tribunal determinou também que a USP ajuste os vencimentos ao teto. Cabe recurso de todas as decisões.
No mês passado, as contas de 2009 da USP também haviam sido rejeitadas pelo tribunal, como a Folha revelou, após serem considerados irregulares alguns pagamentos além do teto e gastos excessivos com folha de pagamento.

Os 167 professores agora citados, em geral, tinham cargo de direção. O tribunal avalia que deve haver outros casos. A USP tem 6.000 professores.

OUTRO LADO

A reitoria da USP afirmou ontem que já fez os cortes nas remunerações que estavam acima do teto constitucional considerado pelo Tribunal de Contas do Estado.

Ela não informou, no entanto, quantos professores foram afetados pela medida -a USP não divulga publicamente seus salários.

No processo do tribunal de contas, a universidade apresentou um entendimento jurídico justificando os valores.

A instituição disse que, apesar de o teto constar desde a Constituição de 1988, apenas em 2003 a regra ficou mais clara, a partir de um emenda constitucional.

Para a USP, as vantagens acumuladas até 2003 não deveria ser computadas para a verificação do limite. O Tribunal de Contas não acatou esse entendimento.

Sobre a USP Leste, a reitoria diz estar tomando todas as medidas que estão sendo solicitadas pelo Ministério Público e a Cetesb.

Afirmou também que os contratos emergenciais, contestados pelo tribunal, não estão mais vigentes.
professores.

Os docentes Douglas Wagner Franco e Joaquim de Camargo Engler, citados pelo TCE como maiores remunerações da universidade, afirmaram que é a própria instituição quem calcula seus vencimentos, com base nas regras do funcionalismo.

Ambos disseram ter tido nove quinquênios (reajustes de 5% a cada cinco anos) -Engler se aposentou em 2012 e Franco sairá neste ano.

“Meu salário pode até ser alto, mas entrei na universidade em 1967. Produzi e trabalhei muito neste período”, afirmou Franco, que possui quatro pós-doutorados e uma livre-docência. “E não sou eu quem negocia salário com a universidade. Há um setor específico que concede os direitos que nós temos.”

Já Joaquim Engler ingressou em 1965 na USP, onde foi chefe de departamento e presidente de comissões assessoras da reitoria.

O ex-reitor João Grandino Rodas e o ex-diretor da USP Leste, José Jorge Boueri Filho, foram procurados ontem pela reportagem, mas não foram localizados.

Ingerir água nas refeições não engorda, mas bebidas açucaradas sim

Padrão

ESCRITO POR: Amanda Epifânio Pereira

A ciência de nutrição nunca ganhou tanto destaque como nos dias atuais. Temas sobre alimentação e nutrição são tão recorrentes em programa televisivos ou mídias impressa e online, que já fazem parte das discussões populares. Na fila do banco sempre se encontra alguém que tem uma receita nutricional para controlar a pressão arterial. Nas feiras livres em cada banca uma receita para saúde. No salão de beleza as dicas são para emagrecer… Tanto se fala sobre este assunto que ao invés de esclarecer o que há de verdadeiro no poder dos alimentos, cria-se dúvidas, muitas dúvidas.

Em alguns casos, determinadas informações são tantas vezes repetidas ao longo do tempo que se tornam verdadeiros mitos nutricionais. São informações passadas de geração a geração e ganham tanta força na cultura popular que são tidos como verdades absolutas. O líquido junto com a refeição é um desses mitos. Não tem uma pessoa que não tenha uma informação formada sobre isso. O que mais se diz é que “líquido junto com a refeição engorda”, “aumenta a barriga”, “deixa o estômago alto”, “causa anemia”. Vamos tentar esclarecer algumas dessas afirmações e aquelas não respondidas ficarão à serviço da imaginação popular.

As questões mais importantes com relação ao líquido junto com a refeição dizem respeito às alterações nutricionais. O líquido pode diluir o suco gástrico, tornando a digestão alimentar mais lenta e influenciando a liberação de alguns nutrientes como o ferro. Mas na prática clínica, é raro encontrar pessoas com deficiência nutricional por consumir líquidos com a refeição. O bom senso recomenda cuidar das porções. Um copo com 250 ml de líquidos acompanhando à refeição não causará problemas nutricionais relevantes. Sim, podemos tomar líquidos com a refeição!

O líquido no estômago junto com a refeição pode mesmo aumentar o volume abdominal. Mas isso não significa ganho de peso ou aumento da barriga. Trata-se apenas uma distensão gástrica, a parede abdominal volta ao normal após o tempo necessário para a digestão. Apesar disso, essa distensão, se for constante, pode sim aumentar o tamanho do estômago. Essa dilatação vai exigir mais volume alimentar para que a resposta de saciedade seja adequada, e consequentemente, causar ganho de peso. Consumir água não aumenta o peso, comer muito, sim!

Várias são as alegações de líquidos junto com a refeição associados ao peso corporal. Àquelas associadas ao emagrecimento estão diretamente relacionadas à resposta de saciedade. Parte da resposta fisiológica de saciedade do corpo humano diz respeito à distensão da parede gástrica, causada pela presença do alimento. Isto justifica as alegações de que beber água antes das refeições poderia ajudar no emagrecimento. Poderia ser verdadeiro se a saciedade fosse uma resposta causada apenas pelo preenchimento do estômago. Infelizmente não é assim.

A qualidade do nutriente presente no estômago esta diretamente relacionada à resposta adequada de saciedade. Alimentos ricos em proteínas e gorduras são os que mais tempo ficam no estômago e são os mais fortemente relacionados à plenitude gástrica.

Os líquidos têm uma pausa gástrica curta causando uma falsa sensação de saciedade. As consequências podem ser perigosas, a fome pode voltar muito cedo, conduzindo para a busca maior de alimentos fora dos horários das refeições, e inevitavelmente, causar ganho de peso. Mas nada tem a ver o líquido com a refeição, apenas com a ineficiência em enganar o corpo humano e maior consumo alimentar. Líquido junto com a refeição não ajuda a emagrecer!

No que diz respeito ao aumento de peso a partir de líquidos, uma única informação basta: açúcar! A maior parte dos líquidos consumidos atualmente é rica em açúcar e o consumo exagerado dessas bebidas, sim, causa ganho de peso. A questão mais importante nesse caso não é beber junto com a refeição, mas quantas calorias contém o líquido que acompanha a refeição. Sucos, águas aromatizadas adoçadas com açúcar, refrigerantes, águas tônicas, bebidas energéticas. Todos estão no topo dos produtos que mais causam ganho de peso. Não há nada relacionado à ocupação gástrica do líquido, mas sim ao teor calórico dessas bebidas. Sim, bebidas com açúcar causam ganho de peso!

Os refrigerantes ou bebidas gaseificadas mereceriam uma capitulo a parte, tamanha a quantidade de malefícios associados às bebidas. De fato, são as piores. Potencializam os efeitos de má absorção dos nutrientes; influenciam a saúde dos dentes; aumentam ainda mais distensão abdominal; irritam a mucosa gástrica. Refrigerantes ou bebidas gaseificas sem açúcar, conhecidas como light ou zero, essas bebidas não causam ganho de peso. Refrigerante zero açúcar ou light não engorda!

E o que diz a ciência? A ciência da nutrição é a favor de não consumir líquidos junto com a refeição. Essa é a recomendação de saúde. Quando não for possível, recomendamos o consumo de pequenos volumes. A prioridade deve ser sempre para a água. Sucos de frutas naturais deve sempre ser a segunda opção. Esses devem ser diluídos em água e prioritariamente sem adição de açúcar. Comer a fruta é a recomendação de saúde. Sucos de fruta e de soja artificiais e os refrigerantes são bebidas que devem ser evitas ou consumidas eventualmente. Essa é a recomendação de saúde!

Cinco exercícios para os 30% que nunca se exercitam

Padrão

Cerca de 30% dos britânicos nunca se exercitam, de acordo com o instituto de pesquisa Mintel. Mas o que as pessoas podem fazer para ficar um pouco mais em forma sem ter gastos adicionais, inconveniências ou constrangimento?

1. Suba e desça escadas

O exercício não precisa levar uma hora inteira. Esforço em ritmo acelerado por períodos curtos pode trazer muitos benefícios. A guru da boa forma Rosemary Conley sugere a subida e descida de escadas em casa mesmo. “É de graça, não leva muito tempo e exercita o fôlego”, diz ela.

2. Faça a prancha

Rosto virado para o chão, braços posicionados em forma de L, pernas firmes e glúteos alinhados com o resto do corpo (sem levantá-los para o alto). A prancha, detestada por muitos, é o melhor exercício para melhorar as condições físicas do centro do corpo, segundo Elliot Lake, gerente da Bootcamp Pilates. “Fique na posição por 30 segundos, três vezes pode semana e isso será uma grande ajuda”, diz ele. A região do centro do corpo é composta por músculos profundos que conectam as partes de cima e de baixo do organismo, incluindo o estômago, as costas, os quadris e glúteos. O exercício tem benefícios para o estômago, ajuda a melhorar a postura e exercita a coluna. “A ideia é que você tente chegar a um minuto na posição, três vezes por semana”, diz Lake.

Esse exercício tem como objetivo fortalecer a musculatura anterior do tronco colaborando para a estabilidade da coluna lombar. Em relação a diminuir a barriga ele tem um efeito positivo quando associado a uma dieta que restrinja a ingestão calórica e a um programa de exercícios que elevem o gasto calórico. Dessa forma diminuir o perímetro abdominal depende de dieta, exercícios físicos e força de vontade para manter-se com essa atitude de forma regular e bem planejada.
O tempo nessa posição vai variar de acordo com a pessoa que estiver fazendo o exercício. Se a parede abdominal for muito fraca eu costumo começar com 3 séries de 10″ e vou progredindo o tempo de acordo com a evolução do aluno. Tem aluno que fica até um minuto, mas geralmente são atletas e necessitam desse estímulo. Aluno normal costuma evoluir até 4 séries de 30″ com uns 30″ também entre os exercícios para recuperação.

3. Passe o aspirador em casa

“É trabalho pesado e você vai suar”, diz Conley. “Lavar o carro também é uma boa, assim como cortar a grama”. O benefício, segundo Conley, é elevar os batimentos cardíacos.

4. Escreva o alfabeto com sua perna

Esse é um outro método usado por Conley. “Sente-se, levante uma perna e desenhe um alfabeto imaginário no ar com um dedo do pé. Depois faça isso com a outra perna”, afirma. “É fácil porque você pode fazer o exercício assistindo televisão, por exemplo”.

5. Programe um alarme

“Caminhar um pouco sempre é muito útil”, diz a médica Lauren Sherar, um estudioso de atividades físicas e saúde pública da universidade Loughborough, no leste da Inglaterra. “Coloque um alarme em seu telefone para ficar em pé por cinco minutos regularmente. Ou então dar uma caminhada pelo mesmo período de tempo”, diz. Pesquisas médicas revelam que ficar sentado por muito tempo diminui a expectativa de vida. Já ficar em pé regularmente melhora a saúde. “Ficar em pé por cinco minutos a cada meia hora é algo totalmente possível”, afirma Sherar.

20 Fingers

Padrão

You gotta lick it, before we kick it
You gotta get it soft and wet so we can kick it
You gotta lick it, before we kick it
You gotta get it soft and wet so we can kick it

Boom-ba-da-da-da-da
Boom-ba-da-da-da-da
Boom-ba-da-da-da-da…………..8x
Baby work it………..

I met a real cutie
He had a nice tight booty
He seemed to be the freaky lover type
Let’s cut right through the chase
C’mon and get a taste
You’ve got to face it
So that I can get hype…

Chorus

Boom-ba-da-da-da-da……….8x
Baby work it…….

My lips are sweet as candy
I need a man that’s handy
Don’t be a tease just give what i like
I’m full of freakiness
So give my cat a kiss
And make me purr
So we can do this right…….(meow!)

Chorus

Boom-ba-da-da-da-da………8x
Baby work it…….

You know men are dogs
So go bark up somebody else’s tree
Here boy…c-come and get, come and get it…….

Chorus 2x
Boom-ba-da-da-da-da….8x

Baby work it….

Boom-ba-da-da-da-da
Boom-ba-da-da-da-da
Boom-ba-da-da-da-da
Boom-ba-da-da-da-da
Boom-ba-da-da-da-da
Boom-ba-da-da-da-da
Boom-ba-da-da-da-da
Boom-ba-da-da-da-da

28 euros

Padrão

Estou assistindo um programa da RAI Italia, Presa Diretta, sobre a indústria têxtil em Bangladesh – na verdade, aquelas sweatshops terríveis onde crianças de 12, 13, 14 anos de idade trabalham em péssimas condições (mostraram os banheiros das fábricas, as linhas de produção ensurdecedoras e trabalhadores trabalhando no chão), durante 12 horas por dia, por 28 euros mensais. A maioria delas para grandes marcas ocidentais (inclusive italianas, como a Benetton). Eles não têm direitos trabalhistas de forma alguma – aliás, sindicatos são terminantemente proibidos e quando os trabalhadores decidem protestar nas ruas, a polícia chega prontamente com cacetetes, bombas de gás e afins (já se viram tais cenas incontáveis vezes por aqui também…). As grandes marcas sempre alegam desconhecimento, mas os reporteres da RAI conseguiram se infiltrar de tal forma que gravaram confissões de que OBVIAMENTE sabem tudo! E a justificativa, claro, é de que em Bangladesh um operário custa 28 euros, enquanto na Itália custam 2500 mensais….revoltante, para dizer o mínimo.

why ALL MEN CHEAT on Loyal Women

Padrão

Aurora:

Um dos posts mais verdadeiros que já li a respeito de traição.

Postado originalmente em Real News:

image

By: Ebrahim Aseem Follow@fuel4thebody

IG: @Fuel4TheBODY
Twitter: @EbrahimAseem

https://www.facebook.com/AEAseem

https://www.Twitter.com/EbrahimAseem

http://www.instagram.com/fuel4thebody

When I confessed to my EX’s questioning of my fidelity over a year ago, all she could say was “wow”. She seemed very taken aback by my answer. So today, when I was asked ‘why men cheat’ by a young lady during a Public Speaking event, I was initial hesitant to share the full conversation me and my EX had about her suspicion of my lack of loyalty.

“Can you tell me why all men cheat on loyal Women?” a curly haired PreMed student asked me today, during my public speak to a room full of 300 Women. My response to her question was,

“Males cheat on loyal women to boost their ego. A woman can be perfect for him. Beautiful, career minded, own money, cooks, does whatever he wants her to do in bed, loyal, intelligent, educated…

Ver original 2.454 mais palavras

Padrão

“As mulheres brasileiras, há décadas, passam por processos de transformação pessoal, profissional e mudaram o país. Contudo, segundo pesquisa do Data Popular, 89% dos homens consideram inaceitável que a mulher não mantenha a casa em ordem; apesar de quase todos os domicílios terem TV, apenas 55% possuem máquina de lavar; 56% da população conhecem um homem que já agrediu uma parceira e 54% conhecem uma mulher que já sofreu agressão do parceiro. Em 2010, um estudo da Fundação Perseu Abramo mostrou que 94% das brasileiras acreditam que existe machismo no Brasil. E segundo uma pesquisa do DataSenado de 2013, 90% das brasileiras afirmam que as mulheres nem sempre são tratadas com respeito por aqui. No Brasil, as mulheres derrubaram dogmas arraigados da sociedade e alcançaram, com garra e competência, maior espaço. Há, sim, o que comemorar, mas ainda falta muito a conquistar, em especial respeito e poder”. Jacira Vieira de Melo, militante feminista desde os anos 1970, especialista em Comunicação Social e Política na perspectiva de gênero e raça e diretora executiva do Instituto Patrícia Galvão, de São Paulo (SP)

Woman I can hardly express
My mixed emotions at my thoughtlessness
After all I’m forever in your debt
And woman I will try to express
My inner feelings and thankfulness
For showing me the meaning of success

Ooh, well, well
Doo, doo, doo, doo, doo
Ooh, well, well
Doo, doo, doo, doo, doo

Woman I know you understand
The little child inside of the man
Please remember my life is in your hands
And woman hold me close to your heart
However distant don’t keep us apart
After all it is written in the stars

Ooh, well, well
Doo, doo, doo, doo, doo
Ooh, well, well
Doo, doo, doo, doo, doo
Well

Woman please let me explain
I never meant to cause you sorrow or pain
So let me tell you again and again and again

I love you, yeah, yeah
Now and forever
I love you, yeah, yeah
Now and forever
I love you, yeah, yeah
Now and forever
I love you, yeah, yeah

Link: http://www.vagalume.com.br/john-lennon/woman.html#ixzz2vCnkXic9

Morador de Brasília produz energia em casa e vende parte à rede pública!

Padrão

Servidor público foi o 1º a instalar sistema bidirecional na capital federal. Medida, regulamentada em 2012, permitiu a ele redução de 70% na conta.

O servidor público Carlos Eduardo Tiusso ostenta orgulhoso um “título” importante: ele é o primeiro morador de Brasília a adotar o sistema de medição bidirecional de energia domiciliar. Na prática, isso significa que Tiusso produz a energia que consome e o excedente ele vende à rede de energia. No fim do mês, ele consegue um desconto de até 70% na conta de luz.

Ainda pouco difundida, a proposta amplia os benefícios para quem usa alguma fonte geradora de energia em casa, como a solar, permitindo que o cliente tenha o controle do que produziu, não consumiu e forneceu à rede e, assim, tenha abatimento nas despesas.

A situação foi regulamentada pela Aneel em abril de 2012 e parte do pressuposto de que quem gera energia em casa compartilha o excedente com a rede pública. Os equipamentos instalados na casa do consumidor permitem medir a energia gerada pelas placas e a que ele entrega à rede de clientes da região. A diferença corresponde ao que ele usou.

Então, duas coisas são analisadas: primeiro, a soma entre o que foi fornecido pela companhia energética para a casa e o quanto o cliente usou da energia gerada na própria residência; segundo, a quantidade de energia excedente que ele entregou à rede. Caso ele consuma mais energia do que produziu, paga a diferença. Se a produção for maior do que o consumo, ele fica com crédito para as contas futuras.

O servidor público mora em uma casa de 430 m² no Jardim Botânico. São quatro suítes, para dois adultos e duas crianças. A adesão ao sistema custou R$ 16,5 mil e levou sete meses para ser concluída. No período, Tiusso precisou levar certificados internacionais e outros documentos comprovando a eficiência do projeto. A expectativa é de que o investimento tenha retorno em oito anos e de que a vida útil do sistema seja de 30 anos.

De acordo com Tiusso, a adesão dele ao novo sistema ocorreu por três motivos: financeiros, ambientais e de eficiência energética. “Nesses dias de intenso calor, momento em que a rede pública está mais saturada, fornecendo energia para todos aqueles que estão utilizando aparelhos de ar-condicionado, é exatamente o momento em que o sistema [instalado em casa] está gerando mais energia e a injetando na rede pública”, afirmou.

Segundo a Companhia Energética de Brasília, a Embaixada da Itália também aderiu ao novo sistema. Além disso, um morador do Lago Sul apresentou proposta recentemente para instalar os equipamentos na casa dele.

Vimos esta matéria em http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2014/02/morador-do-df-produz-energia-em-casa-e-devolve-parte-rede-publica.html