Barracos virtuais


Estes dias ando atacada *rs* Bom, na verdade é a galerinha reaça que está atacada…juro que não sei de onde aparecem essas figuras, affff…surreal. Longas discussões se seguiram, das quais selecionei os trechos mais relevantes e/ou trágicos e/ou engraçados e/ou absurdos (e olha que nem coloquei a discussão sobre a lista de presença aqui, hein *rs*).

Barraco número um: 

Bocó número 1: “Falar que existe uma cultura negra é tão estúpido como falar que existe uma cultura asiática ou uma cultura amarela.
Pegar uma cor da pele e pretender agregar a ela uma cultura é algo que não faz qualquer sentido (…). Faz mais sentido falar em uma casa da cultura chinesa na USP ou de uma casa da cultura coreana, do que uma casa de uma coisa que não existe, ou seja, uma cultura agregada a cor da pele, no caso, a negra (…). O que esquecem é que foram culturas africanas as principais culpadas pela escravidão, pois não eram os europeus que iam caçar africanos para venda, mas sim outros africanos.
O negócio da escravidão só prosperou pois reinos iam caçar outras sociedades para vender soldos de guerra e reis fizeram fortunas vendendo gente.
Por isso não gosto de associar culturas com fenótipos. Mesmo tendo muito a ganhar com o comércio, povos de vários continentes não provocaram guerras para caçar pessoas. Preferiam vender especiarias, cana de açúcar ou simplesmente se fechar para o mundo.
Os europeus só conseguiram a dominação dos continentes com o apoio de locais, até na América Central e do sul”.

Eu: “querido…ninguém está dizendo que isso que vc. está falando não aconteceu – afinal, filha da puta existe em todo lugar e em toda época, e espólios de guerra, assim como tráfico humano, nunca foram novidade. O apoio de pelo menos uma parcela das populações locais em relação aos opressores recém-chegados também não é novidade. Mas vc. sabe muito bem que este é um assunto complexo e multifacetado, que ultrapassa EM MUITO essas suas considerações. Deixa de ser tonto – ou melhor, de se fazer de tonto”.

Bocó número 1: “Um dia, as humanidades brasileiras deixarão de ser praticadas por militantes e passarão a ser praticadas por cientistas que não terão medo de fazer perguntas inconvenientes. Por que só se vendia gente de forma ostensiva na África?
Se o mercado era tão rentável e o desejo de lucro tão poderoso, por que na China,onde tinha muito mais gente, não se criou um mercado de humanos?
Simples: Isso não era adequado para os chineses…”

Carinha legal: “Esse pessoal que se orgulha tanto de ser alfabetizado. “Eu li umas opiniões e agora eu tenho uma opinião e ela tá CERTA!!! E quem não concorda comigo é doutrinado pelo partidão!!!”

Carinha que caiu de para-quedas na discussão: “Sem entrar no mérito da “esquerda” que denuncia o “elitismo” e fica “argumentando” na base do “você é burro/vai estudar/deficiência na formação escolar”, eu tendo a discordar do Bocó, mas gostaria de ver uma argumentação mais clara de vocês.”

Eu: “A gente argumenta assim ao invés de ficar dando aulas e aulas e aulas de história, primeiro porque não temos mais paciência de ficar retrucando asneira; segundo porque facebook não é aula; terceiro porque tem certas coisas que nem são questão de ideologia de direita/esquerda, são frutos de bom-senso mesmo. Quem quiser, fique à vontade para ensinar ao Bocó o que é ideologia, quais mecanismos são postos em marcha para que os oprimidos se identifiquem com os opressores e os apoiem em ações que inclusive vão contra seus próprios interesses e por aí vai…eu não tenho saco.

(e convenhamos: é SIM deficiência na formação escolar, me desculpe!)”

Carinha legal: “Não negociamos com terroristas nem argumentamos com trolls.”

Carinha do para-quedas: “To falando da questão inicial do tópico”.

Eu: ” A questão inicial do tópico nem era uma questão – vc. leu a reportagem? Fala de jornais escritos aqui no brasil em línguas estrangeiras, só isso. O cara que polemizou porque é bocó! LÓGICO que as culturas não são homogêneas, oras…falar em “cultura negra” é equivalente a alguém que generaliza e fala em “cultura ocidental”. E daí? Isso significa que essa cultura, por mais diversa que seja, não exista? As pessoas que tentam desclassificar o movimento negro usam este argumento para desclassificar o movimento feminista também – é genérico, baseado num único fator que “não define ninguém”, blablabla. Esse tipo de argumentação não é válido e deve ser combatido. Quem sofre a opressão sabe muito bem do que se trata. Já para quem não sofre, bem…é fácil apontar o dedo e ficar no preciosismo conceitual e nas picuinhas de nomenclatura *rs*”

Para-quedas: “Eu sou totalmente aberto a dizerem que não é válido, desde que argumentem. O Arlindo Veiga dos Santos, apesar de ter sido fundador da Frente Negra Brasileira (se não me engano, a primeira organização claramente voltada à identidade negra aqui no Brasil), muito dificilmente seria lembrado e celebrado nessa Casa de Cultura. Questões políticas, é claro.”

Eu: “Cada grupo escolhe quem será celebrado e quem será esquecido. Nem todos os ocidentais são lembrados pela dita cultura ocidental; nem todas as feministas são lembradas pelas feministas, e assim por diante. Claro que é uma questão política. O cara era reaça – quem não quiser celebrar o ultra-conservadorismo, com certeza não vai dar bola para ele, ué, mais do que compreensível.”

Para-quedas: “Então, como eu acho, a questão é mais política que propriamente “racial”. O próprio João Cândido, que vários setores do Movimento Negro comemoram, tem a sua fase integralista eclipsada.”

Eu: “é lógico que a questão é sempre política! *rs* Você ainda tinha dúvidas??? Tudo nessa vida, meu caro, é político. O que não significa dizer que é ruim, como somos doutrinados a pensar. Você já deve ter lido, mas caso não conheça…”O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.
O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.”

Para-quedas: “Sim, mas a questão é que se usa esse escudo da raça para passar um conteúdo que, no fundo, político. Não seria celebrada lá a cultura de todos os negros, a cultura negra em si, mas a dos negros que o grupo político responsável escolhesse (ou então as fases que o grupo quisesse destacar). 

Mas, não, não acho que “tudo é política”. Enfim.”

Eu: “a raça não é um “escudo”, é um viés. E o conteúdo não é político no fundo, é na frente mesmo, é explicitamente político. Só cogita que essas questões não sejam políticas pessoas que, como você, não acham que tudo é político…”

Para-quedas: “Não é explicitamente político, oras. Se a casa se pretende “de cultura negra” e não “de cultura negra progressista”, ela se vale de um escudo racial.”

Eu: “O progressismo já está implícito em todos os movimentos de luta por direitos, por igualdade”

Bocó número 1: “Nunca foi do interesse dos militantes que suas ideologias fossem questionadas. 
De fato, os militantes sabem que a questão é só política. E vale apenas a definição que eles dão para suas identidades de ‘minorias’.
De fato, tem muita coisa debaixo do tapete, que não deve vir a tona, afinal, tudo o que alguém define como ‘politicamente correto’ deve ser correto…”

Eu: “Uau, você voltou, que alegria! *rs* Defina “militantes”. E os magnatas? Os donos de indústrias? Os bambambans das mídias? Sempre foi do interesse deles que suas ideologias fossem questionadas? I didn’t think so. E quem rotula negros, mulheres, gays, etc. de “minoria” são exatamente esses caras. Porque de minoria não temos nada – WE ARE THE 99 PERCENT. Se tem alguma coisa debaixo do tapete, não é do tapete dessas pessoas que você chama de “militantes” ou “minorias”, e sim desses ooouuutros militantes…eles militam em causa própria, legislam em causa própria, compram votos em causa própria e, finalmente, matam em causa própria. E, de quebra, eles também fazem a cabeça de uns pobres-coitados como você😉 ”

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

Barraco número dois

Bocó número 2 (que pode ser fake do bocó número 1, diga-se!): “A única vantagem de ter um diploma da USP é poder dizer com propriedade que um diploma da USP não serve para nada. Não aprendi 1% na Universidade o que aprendi no mercado de trabalho.”

Carinha legal 2: “Se você não aprendeu quase nada na USP, isso pode ser uma limitação sua, e não da Universidade”.

Carinha legal 3: “pelo visto não “aprendeu” muita coisa nem nesse poço de conhecimento que você chama de mercado de trabalho”.

Bocó número 2: “Eu estou bem empregado e ganho bem. E vocês?”

Carinha legal 4: “Realmente aprendeu pouco na universidade, no trabalho e na vida…; )”

Mocinha: “Acho relativo. Eu, por exemplo, não curto muito meu curso e gosto mais do que aprendi no trabalho, mas tem gente que valoriza muito mais os aprendizados do curso.. depende de que caminho você quer seguir na vida.
Anyway, ganhar bem não é sinônimo de vida feliz. E esfregar ‘verdades’ orgulhosas na cara dos outros é bem.. erm, vergonhoso.”

Bocó número 2: “Qual é a vergonha de eu ter um caminho bem sucedido e saber que não devo nada para a universidade? A verdade é que a USP é um crime com o dinheiro público e deveria ser vendida ou fechada.”

Mocinha: “Bem, se ser bem sucedido é querer esfregar ‘sucesso’ na cara dos outros, dispenso”

Bocó número 2: “A USP é um parasita do trabalhador brasileiro pagador de impostos. Trabalho em TI. Sou dessa gente que não serve para nada que ajuda a criar programas para vocês falarem mal da sociedade.”

Carinha legal 5: “gente, não alimentem os trolls…”

Mocinha legal: “Duvido q vc estaria bem empregado se não tivesse seu diploma USP… pra isso ele deve servir, né?”

Mocinha legal número 2: “Eu vim a este mundo pobre e fudida, mas graças ao meu esforço pessoal e à minha formação pela USP eu me tornei bem-sucedida (inclusive trabalhando na própria USP). Amigo, por que não cedeu sua vaga pra alguém que precisava mais que você??”

Bocó número 2: “Você é parasita DUAS vezes. Estudou lá com dinheiro público e recebe dinheiro público para trabalhar numa instituição falida.”

Mocinha legal número 3: “É, a área de TI não exige muito mesmo, hahah! Aprendi no mercado de trabalho (q entrei bem antes de passar na USP) que o pessoal de TI só entende disso e de mais nada nessa vida, acho q é por isso q vc se encontrou😉 ”

Bocó número 2: “Se não fosse o pessoal de TI, vocês não estariam na frente de um computador. Como vocês são burros. Carinha legal 6, não vou usar suas técnicas gays pra melhorar caso eu esteja com algum problema, fique aí na sua praia homo que eu fico aqui na minha onda de ser hétero. Nada contra o seu pessoal LGBT, só não é a minha mesmo.”

Carinha legal número 7: “Agradeço mto à USP pois ela me abriu mto a reflexão sobre uma série de coisas. Ela tem mto a melhorar, mas msm assim devo mto a ela, mas isso é uma questão de foro íntimo.
Qto à discussão, só lamento q ela desperte tanto rancor. Não creio q seja para tanto, visto q é mera informalidade”.

Carinha legal número 8: “É, parece que diploma da USP não serve pra nada (ou pelo menos não prova de antemão nada), afinal… você tem um.”

Carinha legal número 9: “Universidade não é curso profissionalizante. Volta pro seu trabalho, vá ganhar mais e ser mais feliz, pagar seus tão injustos impostos com esse dinheiro que você pariu. E aprender cada vez mais, aprender as tão valiosos valores do mercado de trabalho.”

Mocinha legal número 4: “Pra ser o que vc é, não precisa mesmo de universidade, diferente do que muitos são aqui, como professores, tradutores, editores e etc. Nós aprendemos sim com as nossas respectivas faculdades.
E sim, querido, a sociedade vive porque existem médicos, educadores, jornalistas, engenheiros, técnicos da informação, operadores de tlmkt, pedreiros, açougueiros, faxineiros e tudo mais… mas vc veio aqui dizer que a universidade não serve pra nada, q todo mundo deve ser “bem-sucedido” como vc, sendo técnico da informação… não, meu caro, a sociedade não vive só de computadores”.

Carinha legal número 7: “Mas e ai? Vc desce pelo heliponto ou fica respirando o ar condicinado do automóvel no transito infernal de Sampa?

Esses peões de gravata são o máximo…kkkkkkkkkkk”

Bocó número 2: “Você está querendo dizer que ter um trabalho e enfrentar o trânsito é uma coisa indigna? Meus pêsames. E  qual é o problema dos peões? Você é mais importante que eles? o trabalho deles não serve para nada?”

Carinha legal número 7: “Não, só querendo dizer que vc é mais um fodido que nem todo mundo.

E não tem moral de vir fazer “fusquinha” com outros que em vez de pegar trânsito todos os dias pega trem lotado andando que nem gado, se para vc a USP é mais uma merda de instiuição vazia que nem são as TIs, para a maioria é uma oportunidade de crescer e ser feliz na vida, coisa que vc aparenta não ser.

Para alguns a USP é mais uma grife para carimbar no CV e arrumar emprego junto com filhodaputa…para outros uma forma de crescer pessoalmente e ajudar as outras crescerem.

como disseram ai vc não aprendeu porra nenhuma na universidade e nem na vida, mas te compreendo, trabalhar em TI faz esse tipo de transformação mesmo.”

Mocinha legal número 4: ele nem entendeu seu sarcasmo, Carinha legal número 7, vamos todos embora q a conversa chegou num nível que ele não consegue acompanhar…”

Mocinha legal número 5: “Pois é, depois de anos de existência, ainda existem mil e tantas pessoas se esforçando ao extremo pra entrar nessa universidade, que assim, não ensina nada, né? Acho que a opiniao dele não tem tanta força assim, ou não eh muito relevante para todas esses milhões de pessoas que, humildemente, tentam uma vaga lá todo ano. Ele deveria, realmente, ter cedido a vaga dele (que foi tao mal utilizada) para quem realmente queria. Todos os dias, eu tenho que lidar com gente do “tipinho” dele. Por um lado, é bom que ele se sinta tao superior assim (talvez isso seja até uma orientação do analista). Eu sei que acima dele tem alguem e que, com certeza ele é mais um número (onde quer que ele trabalhe), e como tal, pode ser subtraído a qualquer momento.”

Mocinha legal número 6: “Gente, será q ele tem um diploma USP mesmo ou será q é recalque pq não conseguiu acompanhar o curso e teve q sair de lá? rsrs”

Mocinha legal número 2: “A educação oferecida pela USP é mesmo o que o colega aí em cima mencionou: empirismo, ensino, pesquisa, humanidade. Educação de caráter humanista e civilizatório. Posso não ter um emprego bom e não ter dinheiro, mas graças à USP tenho amigos pro resto da vida, uma família e filho, coisas preciosas que ninguém vai tirar de mim e esse babaca aí não sabe o valor que têm. Pobre menino rico.”

Carinha legal número 10: “A área de TI, bem, ela existe porque um dia alguns físicos descobriram propriedades do silício como semicondutor…Fazendo PESQUISAS…Em UNIVERSIDADES.
Por tabela, você deve TUDO relacionado ao seu emprego à universidade.”

Carinha legal número 11: “todos sabemos que foram os profissionais de TI que criaram o fogo, o cultivo, a irrigação, a escrita, os sistemas de governo… devemos todos sermos gratos por um ser tão iluminado da ordem dos profissionais em TI venha nos visitar aqui em nosso poço da ignorância acadêmica.”

Carinha legal número 10: “No princípio criou o profissional de TI os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o espírito do profissional de TI se movia sobre a face das águas.”

Bocó número 2: “USP = universidade de safados parasitas.”

Carinha legal número 10: “Pensei que o Bocó número 2 tinha dado unfollow post mas ele tava na verdade esse tempo todo inventando um acrônimo pra USP, que fofo.  Parabéns, cara. Cé criativo. Vai pra ESPM fazer P&P. =}”

Carinha legal número 11: “Prefiro “União Soviética Paulista” mas né quem sou eu pra discutir.”

Carinha legal número 10: “Eu pensava que fosse União pelo Sexo & Putaria.”

Carinha: “Fake detected”

Eu: “gente, esse cara pode ser fake, pode ser troll, um idiota que jamais passou pela universidade (a nossa ou qualquer outra – aliás, conheço pessoas que têm apenas o primário com uma cabeça infinitamente melhor do que esse ser). Mas o pior é que EXISTEM babacas assim, e LÁ DENTRO. E formados!!! Já vi, já ouvi, já falei com…e isso me deprime enormemente, porque de fato, tem SIM quem passe por lá incólume, é inacreditável…depois a USP fica com fama ruim e ninguém sabe pq. São esses babacas sujando nosso nome Mas tudo bem, ainda são minoria.”

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

Barraco número três: 

Bocó número 3: Garotas: coloquem os peitos dentro da blusa, mostrem menos a bunda, sorriam ao invés de fazer um bico de pato ridículo, abaixem o dedo de meio. E agora vocês vão ver quantos caras respeitáveis irão curtir as suas fotos pelo fato de serem lindas, não por serem fáceis, vai por mim!”.

Mocinha legal número 1: Além de machista o cara quer cagar regra. Pffff.

Carinha legal número 1: Eu sempre me inconformando com determinado tipo de atitude.

Bocó número 4: case-se com uma puta então… ou peça pra sua mãe andar por aí de saia e sem calcinha, afinal de contas, ela é livre, e vc não é “machista”…

Mocinha legal número 2: É muito engraçado essas pessoas que olham quem defende que as mulheres se vistam da forma como bem entenderem e acham que o que elas defendem é que todas as mulheres saiam de micro-saia. Se sua mãe quiser sair por aí de saia e sem calcinha, isso não tem absolutamente NADA A VER com você. Ai, gente egocêntrica.

Bocó número 4: Jovenzinha, não se trata de as pessoas se vestirem como bem entenderem, mas de “decoro”, palavra q duvido vc saiba o significado… Isso é essencial pra q haja um mínimo de respeito entre os membros de uma sociedade. As pessoas não podem andar por aí da maneira q lhes der na telha, afinal de contas, vc gostaria q um homem se sentasse ao seu lado no ônibus, abaixasse as calsas e começasse a se masturbar? Isso não teria nada a ver com vc? Não te seria ofensivo? Aposto q não, mas pra mim seria. E outra, egocêntrico foi seu amiguinho, q não sabe respeitar a opinião dos outros. O cara simplismente disse não concordar com posturas q, na visão dele, são vulgares, isto é, se portar como uma vadia pra chamar a atenção dos homens. Se vc se rebaixa a isso, td bem; mas respeite quem não ache certo. Discordar de algo não é machismo… por enquanto.

Mocinha legal número 3: Eu comecei a ler a resposta, mas eu dormi depois de “decoro”. Eu voto para a volta dos trajes vitorianos então.

Mocinha legal número 4: Eu não entendi a comparação do grau de ofensa entre a roupa de uma pessoa e um cara batendo uma punheta no ônibus.

Carinha legal número 1: Bocó número 4, cê deve seguir alguns manuais vindos em enciclopédias, tipo “como se comportar na sociedade”, ou “costumes: aprenda desde cedo”. 
“vc gostaria q um homem se sentasse ao seu lado no ônibus, abaixasse as ~calsas~ e começasse a se masturbar”. – Amigo, ninguém falou de nudismo. Cê confunde metade do espaço sideral pra tratar de um assunto só. Funciona nos extremos? Ou a mulher anda vestida ou vai andar batendo siririca em ponto de ônibus? Quantos anos cê tem, filhão? Pra eu me vigiar bem e chegar na tua idade com um pouco mais de noção, mesmo já tendo te passado nessa.
Nem escrever corretamente você sabe, mantenha seu computador deslogado, vai ver uma novela, vai.

Mocinha legal número 2: Meu caro, olhe bem a forma de você tentar desconstruir os meus argumentos: tenta desmerecer minha fala me chamando de “jovenzinha”, falando que eu nem devo saber o significado da palavra “decoro” e que eu não me ofenderia com um cara se masturbando do meu lado? Que tal subir o nível, ein colega? Isso daí tá parecendo coisa de quem não sabe argumentar…
Além disso, não sei se você foi sacana ou só se tem dificuldade de juntar as pecinhas parecidas: porque uma mulher de mini-saia não tem nada a ver com pessoas se masturbando em público. Aliás, sabe qual seria o paralelo feminino com o exemplo do sujeito se masturbando no ônibus? Uma mulher se masturbando no ônibus! Agora, estou esperando você encontrar um exemplo de ROUPA que um homem posso estar vestindo na rua, que faça com que ele possa sofrer alguma violência verbal ou física e, depois, ainda seja tido como o culpado da situação. Assim, nunca vi alguém falando: “Garotos: coloquem a barriga pra dentro da blusa, mostrem menos a cueca, sorriam ao invés de fazerem cara de mau, abaixem o dedo de meio. E agora vocês vão ver quantas meninas respeitáveis irão curtir suas fotos pelo fato de serem lindos, não por serem fáceis, vai por mim!”.

Eu: Repararam que além do horror que o tal de Robert Pardim escreveu, QUATROCENTAS e tantas pessoas deram positivinho?? Oh boy…Ah, e se não quiserem ler o artigo, pelo menos vejam as fotinhos ilustrativas que nele estão: http://br.mulher.yahoo.com/blogs/preliminares/cultura-estupro-medidas-paliativas-governo-e-redes-sociais-104922487.html – o anúncio do pirulito com as moscas atacando aquele que está descoberto é perfeito….para os defensores da burca, claro!!

Carinha tolo número 1: briga por curtir”. Poatz. Se cada um cuidasse da sua vida em particular, se essa crítica fosse restrita a sua namorada, sua mãe e irmã, o mundo seria bem melhor.

Eu: Carinha tolo número 1, não se trata de “briga por curtir”. O número de pessoas que “curtem” uma ideia retrógrada é indício significativo de certos fenômenos…

Mocinha legal número 3: Puta que pariu, difícil acreditar que existam babacas do nível desse Bocó número 4 estudando na Letras, na USP, não é possível!! a Mocinha legal número 2 disse tudo que eu gostaria dizer lindamente, obrigada rs! Deprimente ver até mesmo mulheres achando esse tipo de pensamento a coisa mais normal no mundo, como se observa no comentário do Bocó número 3.

Eu: retificando: não foram 400 pessoas, foram MIL quatrocentas e tralalá, afffff….

Mocinha bocó número 1: Gente, desculpa, mas acho que os movimentos feministas deveriam de fato se preocupar com as mulheres… bom, primeiro ponto, as mulheres tem que ter o direito de escolher o que é melhor para elas, por exemplo, já ouvi muito movimento feminista dizer que a mulher que casa na igreja é machista…como assim? isso talvez seja o sonho dela…mas se n for ela pode simplesmente n casar, ou se casar no civil e etc… o que acho grave msm é que tudo vira machismo sabe? claro, que n acho que uma mulher deva ser vitima de violÊncia por se vestir de forma x ou y, mas vejam bem, se um cara anda com o pênis para fora n seria legal certo? quando um cara anda semi-nu também é ridiculo certo? então não acho que seja machista dizer isso de uma garota entendem? se o comentário tivesse dito algo como: “as moças que se vestem assim deveriam ser estupradas” eu também diria que é machista, pois nada dá o direito a violência, agora dizer que é bacana uma pessoa (homem ou mulher) andar quase nu é meio complicado…

sabe, acho que os grupos feministas deveriam se preocupar em fazer com que a mulher n fosse mais vista como objeto, há uma imposição de tipo físico belo, e as mulheres ficam sofrendo para atingir isso… a questão é que a mulher tem que se sentir bem, nós não somos objetos sexuais, por isso n temos a obrigação de ficar mostrando o nosso corpo e etc… acho que deveriamos brigar mais pela aceitação da diversidade feminina, não por simplesmente usar ou não usar roupa…

Mocinha legal número 1: Quem disse que as feministas não lutam contra os padrões de beleza? Lutamos sim, entre diversas outras coisas. A questão não é “lutar por não usar roupa” e sim de termos o direito de escolha, de fazer o que acreditamos ser melhor pra cada uma individualmente, e não seguir cagação de regra de homens que acham que temos que fazer as coisas só para agradá-los ou ter o respeito deles.

Mocinha legal número 3: Não, errado Mocinha bocó número 1! Uma mulher usar um decote ou uma saia curta NÃO é equivalente a um cara andar com o pau pra fora, poxa, não é difícil de entender! Ninguém está falando sobre a mulher andar com suas partes íntimas de fora. O que é andar “quase nu”?? os homens andam sem camisa, só de bermuda numa boa e nunca vi alguém ter problema com isso. Mas as pessoas dizerem que a mulher não “se dá o respeito” (o que diabos isso significa??) por usar uma roupa curta e justa, vejo um monte enchendo a boca pra falar, inclusive outras mulheres. A mulher não é obrigada a andar com roupas curtas e muito menos ter o corpo perfeito, mas se ela quer fazê-lo, por que isso não pode ser visto como a coisa absolutamente normal que é?? Nenhuma feminista séria e esclarecida diria que uma mulher está sendo “machista” ao casar com um homem na igreja, não tem nada a ver o c* com as calças. Mas uma mulher, ao falar mal de mulheres que gostam de usar roupas curtinhas, está sim sendo preconceituosa com relação ao seu próprio gênero, e com isso achando, talvez inconscientemente, que está se protegendo de ser desrespeitada, por ser uma das mulheres que “se dão o respeito”.

Mocinha legal número 1: E o tal do Bocó número 3 não critica só as roupas, mas também quer que as garotas sorriem DO JEITO QUE ELE QUER e que NÃO mostrem o dedo ¬¬ pfvr né

Mocinha legal número 2: Só um adendo: Mocinha bocó número 1, a sua argumentação já nos dá a ideia do machismo da sociedade: um cara que anda semi-nu pode ser tido como ridículo, o que também é relativamente raro e é o máximo que pode chegar – nunca vi nenhum homem ser xingado por estar sem camisa. Já a mulher, não é que ela é “ridícula”, ela é uma puta, uma vadia, uma vaca, uma mulher “fácil” (como o próprio Bocó número 3 disse), ela não se dá ao respeito, não se valoriza e nenhum cara “respeitável” vai gostar dela – claro, porque as mulheres só existem para que determinados tipos de cara gostem delas.

Mocinha legal número 5: Mocinha bocó número 1, sugiro que pesquise um pouco mais sobre feminismo e relações de gênero, sua argumentação tem tantos erros conceituais que eu nem sei por onde começar.

Mocinha legal número 6: uma mulher sem camisa = semi-nua. um cara sem camisa = um cara, oras./ uma mulher que nao se depila = sem higiene. um cara que não se depila = um cara, oras. (Esse é o pensamento de uma sociedade machista, Mocinha bocó número 1. A luta de nós, feministas, além de acabar com a violência, como você colocou, é uma luta por uma IGUALDADE de gênero.)

Carinha semi-bocó: Na boa, meninas… O que vejo aqui nesta discussão é uma tradição, ou seja, um conjunto de normas, imposto por determinado grupo, sendo substituído por outra tradição, que também quer impor certo tipo de pensamento, costumes que, no caso, as mulheres devem seguir. Enquanto no passado o ideal de mulher era aquela que usava roupas sem decotes e não usava vestimenta curta ou agarrada ao corpo; hoje em dia, com essas ideias feministas, o ideal é justamente esse oposto. Nenhuma das formas é melhor do que a outra, acredito que a mulher tem que escolher o que é melhor para ela e não seguir qualquer um desses grupos, que possuem ideias pré-fabricadas. Se a mulher quer usar roupas curtas, longas, agarradas, folgadas, com ou sem decote, que se foda, pra mim ela tem que usar o que é mais confortável ou que ela ache mais bonito e não ver o que está na moda do movimento feminista ou nos padrões estipulados pela sociedade. O feminismo deveria pregar a igualdade de direitos dos gêneros, porém o que vejo muito por aí são grupos extremos que pregam que a mulher é superior ao homem, fazendo o mesmo que a sociedade patriarcal de outrora fizera. Com isso elas estão usando a lógica do olho por olho, dente por dente. Não acho que mostrar os peitos pra fora vai mudar muita coisa não, sinceramente. O homem não precisa esconder os peitos porque não são sexualizados, enquanto os seios da mulher remetem a algo íntimo, do ato sexual, da amamentação. Por isso nós homens escondemos apenas o nosso órgão genital, e vocês mulheres escondem ambos. Não há nada de machismo nisso. É uma coisa que vem da civilização, desde a antiguidade.

Mocinha legal número 2:  “Nenhuma das formas é melhor do que a outra, acredito que a mulher tem que escolher o que é melhor para ela”

É EXATAMENTE ISSO QUE O MOVIMENTO FEMINISTA LUTA, QUAL É O DRAMA AMIGO???????????? 

“o que está na moda do movimento feminista” – DA ONDE VC TIROU ESSA BABAQUISSE?? Alguém tá impondo que só se use roupa curta?? Não viaja.

Sério, to quase fazendo um folder explicativo com ilustrações pq tá difícil viu.

Mocinha legal número 3: mas é justamente pela IGUALDADE que as feministas lutam… não é porque o nome é “feminismo” que se prega que a mulher é superior ao homem, até há gente que faz isso mas ninguém com o mínimo de sensatez concordaria! não se trata de tradição, de normas impostas… desde quando as feministas estão impondo que as mulheres SÓ usem roupas curtas?? a questão é o respeito da liberdade de escolher o que vestir sem ser desrespeitada por isso. ah é cansativo ficar repetindo as mesmas coisas, e as pessoas argumentando coisas que não têm nada a ver.

Carinha semi-bocó: É foda, rsrs. No plano das ideias o feminismo é lindo. Na prática é tão autoritário quanto o machismo.

Mocinha legal número 2: Carinha semi-bocó, você está lendo DE FATO o que estamos escrevendo, ou está lendo com uma ideia pré-concebida de quem “as feministas radicais acham que as mulheres devem mostrar o peito”? Quer ver, vou fazer um apanhado pequeno das coisas que foram ditas: 
– “É muito engraçado essas pessoas que olham quem defende que as mulheres se vistam da forma como bem entenderem e acham que o que elas defendem é que todas as mulheres saiam de micro-saia.” Eu mesma. (Você acabou de entrar para esse grupo)
– “termos o direito de escolha, de fazer o que acreditamos ser melhor pra cada uma individualmente”, Mocinha legal. Ou seja, se a mulher quiser usar saia curta, que use. E também, se a mulher quiser usar saia longa, que use. 
– ” A mulher não é obrigada a andar com roupas curtas e muito menos ter o corpo perfeito, mas se ela quer fazê-lo, por que isso não pode ser visto como a coisa absolutamente normal que é?”, Mocinha legal número 3. De novo, ela já estava se referindo as pessoas que acham que as feministas querem obrigar as mulheres a usarem roupas curtas.
– “é uma luta por uma IGUALDADE de gênero”, Mocinha legal número 6. Feministas não falam em uma superioridade feminina. Como gays não falam em uma “ditadura gay” e negros não querem transformar os brancos em escravos.

Ou seja, se você quer de fato discutir, LEIA o que está sendo dito. OUÇA de fato os outros.

Mocinha legal número 6: Caralho como esse feminismo é autoritário, mandando eu usar roupa curta todo dia, nem posso me expressar, tá foda, viu, essa pós modernidade. AFFE.

Carinha semi-bocó, ficando cada vez mais bocó: Não li mesmo a maioria do que foi dito aqui. Só penso que essas daí que falam de igualdade de gêneros são as primeiras a zoarem ou chamarem de machistas aqueles que não são adeptos ao feminismo. Simples assim. Hoje em dia tudo é machismo, homofobia e racismo. É modinha. Uma hora passa.

Carinha legal número 1: Sim, uma hora passa… O que não passam facilmente são pessoas que pensam como você. Sobre o machismo, sobre a homofobia, sobre o racismo, todos ilusórios demais. Até porque você não é mulher, nem gay e nem negro né?

Mocinha legal número 6: Hoje em dia tudo é modinha mesmo. está na moda morrer, ser espancado, humilhado.

Carinha legal número 1: Sou gay, luto por. Não sou negro, luto por. Não sou mulher, luto por. Se a briga for pelos et’s, lutarei. Eu luto por igualdade, Carinha semi-bocó. Não por determinado grupo de pessoas.

Mocinha legal número 2: “Não li o que vocês escreveram, mas to julgando que vcs fazem isso, e venho aqui falar bosta” TÁ CERTINHO, CONTINUE ASSIM!

Carinha semi-bocó, ficando cada vez mais bocó: julgando, não filha. Eu VEJO esse tipo de comportamento radical no dia a dia. dele tiro minhas próprias conclusões.

Carinha legal número 1: Por isso eu leio, Carinha semi-bocó. Eu não digo “esses negros querem é regalia”, porque eu vejo um ou outro confundindo as coisas. Eu pego um material, leio, e solto minha opinião. Quão grande somos para nos basearmos apenas nas nossas míseras conclusões?

Mocinha legal número 6: puts ce é vitima do feminismo né, muitas mulheres te oprimindo no dia a dia. é foda.

Mocinha legal número 2: Ah, meu, me desculpa, tem hora que tem que mandar a pessoa à merda. Porra, chega a ser mau-caratismo tentar desmerecer as diversas lutar pela igualdade chamando de “modinha”. É fácil, né, Carinha semi-bocó, ser você? Que não é negro, não é gay e nem é mulher. É fácil desmerecer a luta dos outros quando você pode simplesmente fazer de conta que tudo isso não existe, porque não acontece com VOCÊ. O difícil é ver que todos os outros são iguais a você e que deveriam ser tratado da mesma forma e que é seu papel também lutar por isso. Olha pra fora do seu umbigo! 
E, olha, eu até me empenho em discussões, mas tem uma hora que é isso: vá à merda!

Mocinha legal número 1: Ok, então vou julgar vc como um machista estuprador de mulheres, homofóbico e racista que espanca gays e negros na rua, pq esse é um comportamento radical que vejo no dia a dia e então vou concluir que qualquer pessoa que chega vomitando opinião sem ler os argumentos são esse tipo de pessoa. TO CERTA NÉ?

Carinha que era semi-bocó, agora já bocó total: então, Carinha legal número 1, você é um papagaio. Só repete as coisas que os outros dizem ou escrevem. Eu, não. Sou um ser pensante. Tua opinião é justamente aquela que está em alta no momento. O que está fazendo não é lá grande coisa. A própria mídia e a academia está a favor dessas ideias furadas.

Mocinha legal número 1:  A mídia é a favor do feminismo?

HUAUHAHUUHAHUAUHAHUHUAHUAHUAHUHUAAUHUAHUAUAUHUHAHUAHUHAUHUAHAHUHUAHUAHUAHUUAUHAUHHUAAUHUAHAUAHUUHAHUAAHUUHAHUAHUAUHAHUAUHAHUAHAUHAUHAHUAHUAHUAUHAUHAUHAUHUHAHUAUHAUHAUHAUHAHUAUHAUHAHUAUHAUHHUAUHAHUAUHAUHAUHAHUAHUAUHAUHUHAUHAUHAUHUHA.

Mocinha legal número 6: AS IDEIAS FURADAS SÃO AS IDEIAS DE RESPEITO E IGUALDADE NÉ CARA.

Carinha legal número 1: papagaio? Eu quis dizer formular ideias em cima daquelas já formuladas por grandes pessoas, não falei repetir livro. Você é um papagaio. O que vejo você falando, é a mesma merda que vejo passar em canais como globo e em revistas como veja. Já sei porque tá na letras. Vai ser colunista de alguma das capas da rede “burra” de editoras brasileiras. Ou dar aula e ensinar crianças a serem o que o mundo pede que elas sejam pra tudo correr bonitinho e de acordo com o combinado. Já te arranjei até empregos, ó.

Gaste seu tempo melhor na sua construção intelectual de sempre, vá ver uma novela! Porque eu tenho casa pra limpar aqui, e tô me retirando. Se cuide, e cuidado, seu filho pode ser gay ou mulher. Ou até mesmo uma mulher gay. (Talvez não seja se for bem criado, né?)

Mocinha bocó número 1, que não por acaso, é namorada adivinhem de quem?😉 : burro msm é quem acha que esta mudando alguma mas n faz nada além de dizer mimimi, se n tem argumentos fique calada, não parta para o pessoal. fica a dica.

Mocinha legal número 3: sim, tenho argumentos, é só ler acima. ou não leia, tanto faz. tchau.

Mocinha bocó número 1: eu já li Mocinha legal número 3, vc defendeu defendeu o uso de decotes como se isso resumisse a luta feminista, parabéns vc é realmente uma revolucionária.

Mocinha legal número 2, se referindo à Mocinha bocó número 1 e ao Carinha ex-semi-bocó-agora-bocó: eu já expliquei e exemplifiquei para mostrar que falar que a gente luta pelo uso de decote é uma forma suja de vocês fugirem da real discussão (talvez porque não tenham argumentos), diminuindo tudo que estamos dizendo, simplificando e argumentando contra algo que NÃO É o que estamos dizendo. Enfim, isso é discussão de baixo nível, e o que estamos nos propondo aqui é alto nível.
Só toparia discutir com vocês de novo, se vocês estivessem dispostos a: 1º – LER o que é dito. 2º – não distorcer o que o outro diz. 3º – responder os argumentos com argumentos.
É ISSO, TCHAU AMIGOS.

Mocinha bocó número 1: Gostaria muito de saber pq todo o argumento que expressa algo que vai contra o que vcs dizem é encarado como um “não argumento”, mas enfim, espero nunca conseguir entender isso. É muito triste que uma discussão se torne tão medíocre pela falta de capacidade de tratar de um tema sem partir para ofensas pessoias, ah, mas isso vcs consideram um argumento… outra coisa, n se discutiu nessa discussão nada além do uso de decotes, bom, eu li… quando eu disse “vamos discutir a diversidade feminina e etc”, ninguém deu bola, todo mundo continuou no msm mimimi… por isso é uma discussão sobre decote… querem usar decotes usem… sabe, sem tanto mimimi… agora se quiserem andar semi nuas andem também, foda-se, mas é meio contraditório dizer que isso só diz respeito a vc e ficar batendo boca por isso, as pessoas podem discordar, isso é um fato  … outra coisa, não tenho a menor preocupação em terminar a discussão, pq sei que vcs vão voltar e ficar dizendo que n tenho argumentos (isso para vcs é um argumentão, bom eu acho meio mediocre,mas enfim) e isso vira uma coisa infinita sabe? essas discussões nunca levam a nada pq a maioria vai ficar batendo o martelo e uma minoria vai tentar argumentar (dai vai ser ofendida e blablabla), é triste que na fflch as pessoas n saibam conversar com quem discorda delas, sugiro que leiam novamente os meus posts, eles só se tornaram agressivos a partir do momento que vcs me ofenderam, ah sim, mas vcs n vão enxergar isso e vão partir para ofensas novamente, aprendam a conversar com quem discorda, aqui pouco me importa quem vcs são, quem vcs namoram o não… o pessoal n esta no jogo, apelar para isso que é falta de argumento… mas enfim… eu sou a louca, já que discordei e jamais posso discordar…bom, agora podem ficar ofendendo e falando que n tenho argumentos (como sempre)….é isso.

Mocinha legal número 7: fflch cada vez mais sinistra…  E eu que pensava que nunca uma Geisy seria hostilizada aqui… Pelo menos a maioria ainda joga no time “igualdade”… Mais Carinha legal número 1, menos Carinha ex-semi-bocó.

Eu:  nossa, que ideia absurdamente equivocada a galera tem sobre nós, mulheres, hein?? Pqp. Somos feministas, e não nos achamos mais que os homens. Somos feministas, e não queremos exigir que as mulheres andem de burca, tampouco exigir que andem com decotes e saias-Geisy. Aff, será o benedito que é tão difícil assim entender?? Se um homem pode sair com QUALQUER, absolutamente QUALQUER roupa e jamais ser estuprado por conta disso, por que uma mulher não poderia? O peito feminino, ao contrário do masculino, é sexualizado e sempre foi, jura?? Puta que o pariu ignorância do escambau!!!

A mocinha bocó apagou as respostas dela para mim, que pena! Então vou colocar só o que escrevi:

Eu: é verdade Mocinha bocó número 1, não tem um “apoio o estupro” – pelo menos não de modo “escarrado”. Só que tem tanta tanta MAS taaaanta tralha, e todas essas tralhas alavancam os estupros, sem contar outros tipos de comportamento e atitudes absurdas com relação às mulheres.

o legal do comentário do carinha é que ele conseguiu, muito sucintamente, em pouquíssimas palavras, colocar quase tudo o que está errado em relação às mulheres (dos homens em relação às mulheres, e de certas mulheres em relação a outras). Esse mérito ele tem *rs*

Mocinha bocó:  Essas discussões n levam a nada entende? eu até evito entrar nelas por isso, eu discordo da maioria das pessoas da fflch em mtos aspectos (n por ignorÂncia, até pq já li bastante e sei que vcs também), é uma questão de opinião… as pessoas podem discordar sabe? mas acho triste pq quando alguém vai contra o q vcs acham há uma fuga pela ofensa (n estou dizendo que vcs estão me ofendendo agora, apenas estou explicando pq evtito falar)… n falei de burca sabe? só acho que as mulheres n deveriam se preocupar tanto em se enquadrar nos padrões de beleza e tal, eu uso calça e tênis esporte e sou feliz assim…bom, mas é isso… sério, n quero mais discutir… sem ofensas, é que já falei o q tinha que falar entendem? só que o cara do comentário que gerou a discussão n disse estupro…é isso.

A mocinha bocó apagou outra resposta dela para mim

Eu: Mocinha bocó, entendo perfeitamente o que vc. quer dizer. Você que não está nos entendendo, mas tudo bem, quem sabe um dia🙂  E sim, claro, as pessoas podem discordar, isso é salutar. Não fugi para a ofensa só porque discordo de você, eu só reforcei o que quis dizer. Como você, também acho que nós não deveríamos nos esforçar em nos enquadrar nos padrões ditados, e também eu uso tênis, camisetão e calça jeans e sou feliz assim. Só que não é exatamente disso que estamos falando, veja…perceba as implicações das questões que o tal do Bocó número 3 levantou.

suponha a seguinte situação: eu, ou você, usamos sempre calça jeans e camiseta. Um dia, supondo, queremos mudar um pouco de estilo, ou até surpreender nossas amigas, e colocamos uma roupa mais ousada – nada pelado, apenas um decote, uma saia cujo cumprimento seja acima dos joelhos e um salto alto. Estamos lá, caminhando pela rua afora, e a galera nos olhando como um pedaço de carne, falando as maiores obscenidades agressivas (estilo “vem cá gostosa, quer sentir meu pau?”) e até correndo o risco, se você cruzar com um fulano como o dito Robert, de uma passada de mão. Isso é justo? É certo? Você é vagabunda? Você se vestiu para provocar o fulano que cruzou seu caminho? Você “pediu para ser estuprada”? Você acha mesmo que quem usa uma saia e um decote usa essas roupas para ser desrespeitada ou babada em cima por estranhos?? Por favor…

e só complementando: já recebi cantadas obscenas e tentativas de passadas de mão USANDO a tal calça jeans larga, e sem mostrar um centímetro do meu corpo que não fossem os antebraços!!! Exigir que as mulheres “se dêem respeito” não é, nem de longe, a solução. Aliás, não só não é a solução, como não é nada, porque não significa nada a não ser uma ideologia furadíssima para justificar as agressões (verbais, físicas, psicológicas) contra nós mulheres.

além disso, convenhamos: moramos num país tropical. Que ande de sobretudo durante o verão quem quiser, eu certamente não vou passar calor e deixar de colocar shorts ou vestido porque os putos na rua não vão me respeitar.

minha meta é ver, nem que eu tenha 90 anos de idade, a mulherada andando na rua com os peitos de fora (literalmente), assim como os caras andam sem camisa, normal, sem que isso seja nada fantástico, novo, chocante ou sexualizado. É possível, e tomara que minhas netas consigam chegar lá.

Categorias: Hobbies, Notícias e política, People | Tags: , , , , , , , , , , , , , | 5 Comentários

Navegação de Posts

5 opiniões sobre “Barracos virtuais

  1. claranoorbe

    ah, eu teria escolhido apelidos como “merdinha petulante”
    eu digo amem pro seu ultimo comentario, soso.

    ah, entao é isso q estou perdendo no facebook… zzzz.

    • kkkkk😛

      é verdade, não pensei em merdinha petulante *rs* Na verdade, fui boba, não deveria ter poupado os nomes reais dos babacas, é bom dar nomes aos bois, na eventualidade de encontrarmos com eles algum dia, né?😛

      também gostei do meu último comentário *rs*

  2. “ah, entao é isso q estou perdendo no facebook… zzzz.”

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • o facebook não é só isso, oras😛

      • claranoorbe

        queria dar o credito a quem ouvi a seguinte frase: “o facebook é o espaço Caras dos anonimos” mas realmente nao me lembro.
        ainda bem q nao provei, acho q meu narciso viciava =P.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Kate Gale: A Mind Never Dormant

The life of a writer/editor

Biblioteca Florestan

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - USP

Photography Art Plus

Photography, Animals, Flowers, Nature, Sky

Logical Quotes

Logical and Inspirational quotes

Violet's Veg*n e-Comics

Virtual Vegan Comics for Children

Cafe Book Bean

Talk Books. Drink Coffee.

marioprata.net

Site oficial do escritor Mario Prata

Sabiscuit's Catalog

I can't eat biscuits, but I have a better idea ...

Eric Schlehlein, Author/Freelance writer

(re)Living History, with occasional attempts at humor and the rare pot-luck subject. Sorry, it's BYOB. All I have is Hamm's.

Through Open Lens

Home of Lukas Kondraciuk Photography

OldPlaidCamper

The adventures of an almost outdoorsman...

PROVERBIA

"Crítica Social, Lírica y Narrativa"

The top 10 of Anything and Everything!!!

The top 10 of just about anything everything, from cakes to cats and dogs to caravans. Always a laugh, always worth seeing.

Authors, Artists, Geeks, Husbands

DaniellaJoe's Blog

crochet is my favorite fiber art and my goal is to become a real artist...

Blog do Kaizen: Seu espaço de saúde e bem estar

Opinião Central

Opinião Central - seu Blog de Arte, Filosofia e Cultura Pop

Espaço Pura Luz

Portal de Conhecimento

Canal Meditação

Ensinamentos sobre meditação e espiritualidade.

Espaço Virya

Atividades físicas e psicofísicas

Matheus de Souza

Escritor, Empreendedor e Growth Hacker

CorpoInConsciência

consciência corporal corpo inconsciência integração equilíbrio resistência alongamento respiração alimentação consciência

ICI & LA NATURE PICTURES

Walk and Bike in France. www.icietlanature.com

For the pleasure of Govinda

Art and craft for the soul

In punta di piedi

Entra in punta di piedi e spia nel buco della serratura

Daily Rock Report

Because you like it hard and Loud.

Pa-Kua Minas Gerais

Escola destinada ao ensino de práticas orientais

Ambiente Consultoria

Consultor em feng shui

In the Dark

A blog about the Universe, and all that surrounds it

Humor de Mulher!

Um pouco do que gosto, sinto e penso!

Candilejas

Fotoblogueando desde Panamá

Attenti al Lupo

www.attentiallupo2012.com

Lusty Writer

Explore the fun side of the world.

Katzenworld

Welcome to the world of cats!

We. See Hope

'Expect With Confidence. Never Give Up Hope. It's Just The Beginning'

Aurora

...porque me falta espaço!

Devine Decorating Results for Your Interior

Interior design ideas, tips & tricks, plus before & after images

La Audacia de Aquiles

"El Mundo Visible es Sólo un Pretexto" / "The Visible World is Just a Pretext".-

Daily (w)rite

A DAILY RITUAL OF WRITING

Spirituality Exploration Today

Delving into the cross roads of rationality and intuition

Não Sou Exposição

Questionamentos sobre imagem corporal, amor próprio, saúde e comida.

%d blogueiros gostam disto: